Ciro Gomes afirma que Lula atuou a favor do impeachment de Dilma

A declaração foi dada em entrevista ao Podcast ‘Estadão Notícias’. O pré-candidato do PDT disse, ainda, não acredita que Bolsonaro tenha condições de buscar a reeleição.




Política

O mundo político e as articulações para 2022 receberam mais um tensionamento na manhã desta quarta-feira, 13. Em entrevista ao podcast ‘Estadão Notícias’, Ciro Gomes (PDT-CE) afirmou que acredita que o ex-presidente Lula (PT) teria articulado pelo impedimento de Dilma Rousseff (PT). Ciro disse: “Eu atuei contra o impeachment e quem fez o golpe foi o Senado Federal. Quem presidiu o Senado? Renan Calheiros. Quem liderou o MDB nessa investida? O Eunício Oliveira. Com quem o Lula está hoje? Hoje eu estou seguro que o Lula conspirou pelo impeachment da Dilma, estou seguro.”

O pedetista alegou, ainda, que fez a pedido de Dilma um documento de 15 páginas, e que esse texto teria sido repassado a um aliado da ex-presidenta. Contudo, segundo a entrevista, nada teria sido usado e o documento havia sido integralmente descartado. Ciro apontou, também, que o hoje senador, Cid Gomes (PDT-CE), seu irmão, chegou a questionar o porquê de alguns aliados de primeira hora não estarem agindo de modo condizente à luta pela manutenção de Rousseff no cargo. 

A ex-presidenta reagiu rapidamente às declarações do pré-candidato a presidência em 2022. Em seu perfil no Twitter, Dilma disse que Ciro mentia na busca de reagir a sua baixa aprovação popular. Disse também que o pedetista está “mergulhando no fundo do poço”, e que “o problema, para ele, é que usa este método há muito tempo e continua há quase uma década com apenas 1 dígito nas pesquisas.” Gomes respondeu também via rede social, em sua conta oficial no Twitter, foi categórico ao chamar Dilma de uma pessoas mais incompetentes, inapetentes e presunçosas que já passaram pela presidência. Reafirmou que Lula fez “movimentos erráticos” que culminaram com a queda da ex-mandatária.

Durante o podcast do Jornal O Estado de São Paulo, Ciro Gomes também afirmou que sua relação com o lulopetismo está encerrada. Ao falar de Fernando Haddad (PT), a quem chamou de “querido amigo”, pontuou que o petista não conhece os problemas do país. 

A entrevista também questiona o político sobre o futuro de Jair Bolsonaro, de acordo com Ciro, o atual presidente não dispõe de condições mínimas para se reeleger. “Bolsonaro não estará nas eleições por não reunir a menor condição objetiva de se apresentar para o povo. É um governo trágico, que não tem absolutamente nada para mostrar. O Bolsonaro quebrou as contas públicas, nunca vi uma situação ficar tão precária quanto agora”, declarou.

Aliança PDT-PT no Ceará  

Segundo informações divulgadas pelo jornalista de O Povo, Carlos Mazza, dirigentes locais do PT dizem que os embates entre Ciro Gomes e a direção nacional do Partido dos Trabalhadores não afeta, de início, a união das legendas para o pleito que se aproxima. Os dirigentes petistas também consideram que no Ceará os detalhes da aliança são debatidos com Cid Gomes, e não com Ciro.

Sobre Paulo Junior

Graduando em jornalismo pela UFCA. Um apaixonado por política, literatura e cinema. E-mail: [email protected]

Últimas

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades por email

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.