Delegado está sendo investigado por receber propina para obstruir caso Marielle

Rivaldo será investigado pela suspeita de receber propina no valor de R$ 400 mil

Delegado está sendo investigado por receber propina para obstruir caso Marielle

Rivaldo Barbosa, delegado da Polícia Civil do Rio de Janeiro. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Em relatório destinado ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), a Polícia Federal afirma que Rivaldo Barbosa, delegado da Polícia Civil, deve ser investigado pela suspeita de ter recebido R$ 400 mil em propina para evitar que fossem conhecidos os reais culpados pelo duplo assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes.

De acordo com a matéria publicada no site UOL, sem citar nomes, o MP-RJ confirmou que investiga Barbosa. O delegado foi citado em uma conversa telefônica como recebedor de propina.

“Foram trazidas suspeitas de suposta corrupção envolvendo servidores da Delegacia de Homicídios [DH], especificamente sobre o então chefe da Polícia Civil, Rivaldo Barbosa, e servidores a ele relacionados, notadamente chefes da equipe de investigação da Delegacia de Homicídios”, afirmou o delegado federal Leandro Almada, em documento enviado no último dia 2 de maio ao MP-RJ.

Almada comandou o inquérito federal sobre um esquema para atrapalhar as investigações do atentado que matou Marielle e Anderson. Barbosa nega que tenha recebido propina.

“Não há nada disso”, afirmou Barbosa, ao telefone. “Trabalhei muito na DH [Delegacia de Homicídios] e nunca recebi nada de ninguém.”

Carregar mais Posts Relacionados
Carregar Mais Por Rayssa Leonel
Carregar Mais Em Política

Sobre Rayssa Leonel

Graduada em Jornalismo pela UFCA - Universidade Federal do Cariri. Pesquisadora e caririense bem orgulhosa.

Últimas

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades por email

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.

Instagram

Instagram has returned invalid data.

Siga-nos!