Marcelo Crivella (Republicanos) é preso no Rio de Janeiro

A prisão aconteceu no início da manhã de hoje, 22. Crivella é investigado por suposto envolvimento em crimes de corrupção e pela criação de um QG da Propina na prefeitura do Rio de Janeiro.




Marcelo Crivella chegando à sede da Polícia Civil no estado na cidade do Rio de Janeiro. Foto: CNN Brasil

Durante as primeiras horas desta manhã o atual prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), foi preso em uma operação conduzida pela Polícia Civil e pelo Ministério Público carioca. Além de Crivella, foram detidos outras cinco pessoas, o empresário Rafael Alves, o delegado aposentado Fernando Moraes, o ex-tesoureiro da campanha de Crivella, Mauro Macedo, acrescenta-se, ainda, os empresários Adenor Gonçalves e Cristiano Stockler.

Além dos citados, existe mandado de prisão contra o ex-senador Eduardo Lopes, também do Partido Republicanos. Lopes, segundo informado, reside atualmente em Belém, e a expectativa é de que ele se apresente a justiça em breve.

A investigação que levou a prisão do chefe do executivo da cidade do Rio de Janeiro já vem se desenvolvendo a cerca de dois anos, ela ocorre como um desmembramento da Operação Hades. Esta, por sua vez, vem buscando subsídios para embasar a existência de um suposto Quartel General da Propina (QG da Propina).

As especulações sobre o QG da Propina começaram a ganhar força em 2018, quando o doleiro Sérgio Mizrahy foi preso. Mizrahy fez acordo de colaboração premiada e admitiu que era responsável pela lavagem de dinheiro da organização criminosa que vinha atuando na prefeitura carioca.

Entre todos os presos, aquele que mantinha uma maior relação de intimidade com o comandante do executivo da capital do Rio de Janeiro era o empresário Rafael Alves, os dois eram constantemente vistos caminhando juntos pelo condomínio em que Crivella mora. Adensa-se a isso o fato de que Rafael Alves chegou a dizer, em trocas de mensagens, que tinha a caneta na mão, colocando-se como alguém capaz de influenciar abundantemente as decisões que eram tomadas no seio da gestão municipal.

A prisão de Marcelo Crivella, que tem 63 anos, acontece apenas a nove dias do fim do mandato, já que o político foi derrotado em 29 de novembro, quando buscava a reeleição. Neste período quem ficará a frente da prefeitura municipal é o presidente da Câmara de Vereadores, Jorge Felipe (DEM). De acordo com reportagem do Grupo Bandeirantes, o prefeito eleito, Eduardo Paes (DEM), ligou para Jorge Felipe durante o início da manhã, na ligação os dois trataram dos detalhes do processo final de transição. o vereador assume o posto devido a morte do vice-prefeito da cidade, Fernando McDowell faleceu em 2018.

Em declaração dada já na sede da Polícia Civil, no Rio de Janeiro, Crivella se disse vítima de perseguição política e firmou que ninguém combateu mais a corrupção do que ele. O político falou, ainda, que espera que a justiça seja feita.

Crivella deixa a prefeitura carioca com uma das piores avaliações da história, segundo pesquisa Datafolha de outubro deste ano, apenas 8% dos moradores da cidade consideravam a gestão dele como ótima ou boa.

Todos os presos irão passar por uma audiência de custódio ainda durante a tarde desta terça-feira, a audiência está agendada para as 15h e será presidida pela desembargadora Rosa Helena Pena Macedo.

Carregar mais Posts Relacionados
Carregar Mais Por Paulo Junior
Carregar Mais Em Política

Sobre Paulo Junior

Graduando em jornalismo pela UFCA e um apaixonado por política, literatura e cinema.E-mail: [email protected]

Últimas

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades por email

Mantemos os seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam este serviço possível. Leia nossa política de privacidade.